Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Oito meses

por Uma Família Dramática, em 18.09.14

A minha pipoca faz hoje oito meses. Ser mãe foi o melhor que me aconteceu. Antes de passar por esta experiência, costumava perguntar que tipo de amor era esse que se sentia pelos filhos que as pessoas não conseguiam descrever. Hoje sou eu a questionada e sou mais uma das pessoas que não o consegue descrever. É um amor diferente de todos, melhor do que todos e mais doloroso do que alguma vez imaginei. Eu amo a minha filha. Só me aptece enche-la de beijos e abraços e carinhos e miminhos e inhos e mais inhos. Tento encontrar as palavras certas para descrever o que ela provoca em mim e não consigo. O amor que sinto por ela é tão grande que dói, que custa suportar. É como um peso que trago no coração a toda a hora, uma preocupação incontrolável de que algo lhe aconteça, um medo assustadoramente gigante de a perder. Até hoje, ela (só) teve uma infecção urinária, mas o medo que senti nesse dia decidiu alapar-se dentro de mim e provocar esta dor enorme que sinto de tanto a amar. (Falando assim parece que não é bom!) O mistério é exactamente esse, dói mas é tão bom. É tão bom saber que ela é minha, que me pertence, que posso perder tudo neste mundo menos o amor que sinto por ela e o amor que ela sente por mim. É delicioso ver o sorriso dela. Quando penso nela sinto-me a pessoa mais feliz e realizada do mundo. Deus, deu-me a oportunidade de sentir e de receber o amor mais verdadeiro deste mundo. Sempre sonhei ser mãe. Quando soube que estava grávida, fiquei tão feliz. Engravidei aos 20 anos e sem ninguém estar a contar, por isso, muita gente me questionou se tinha pensado no aborto. Houve muitas pessoas que o sugeriram (familiares incluídos) mas nenhum de nós ponderou essa possibilidade. O nosso bebé era o que mais desejavamos, era o concretizar de um sonho. Foi fruto do nosso amor.

Ás vezes, olho para ela e penso em como era a minha vida antes, e ao contrário do que todos pensam, apercebo-me do quão melhor a minha vida é agora. Os meus pais, nunca foram de grandes afectos comigo, pelo contrário. Confesso que nunca me faltou nada e que a minha mãe sempre me deu tudo do melhor. Já o meu pai, nunca quis saber muito de mim. Mandava o cheque e já era suficiente. (Para ele) Mais uma vez, nunca me faltou nada. Excepto amor. Ou melhor, a minha mãe deu-me amor, mas à maneira dela. Acho que nunca a ouvi dizer que me amava. Não me lembro da última vez que ela me deu um abraço ou um beijinho. Mas a maneira de ela me amar, foi dar-me tudo aquilo que ela entendia que eu precisava. O meu sonho de ser mãe, veio um bocadinho daí. Apesar de ser filha única, nunca me senti muito mimada, sempre quis ter pelo menos uma filha, a quem podesse dar tudo, incluíndo amor. Só posso agradecer por ter tido a sorte de sentir este amor tão inexplicável.

Infelizmente, a princesa hoje acordou com febre e tem andado o dia todo a subir e a descer. Dizem que é o dentinho que está quase a rebentar. Mas dói, mais uma vez, dói muito. Só quero que passe rápido. Afinal, hoje é um dia especial.

publicado às 17:23


12 comentários

De Just_Smile a 18.09.2014 às 20:04

Tão bom :)
Não me imagino a ser mãe em breve, mas um dia gostava de me sentir assim como tu :)

De Uma Família Dramática a 19.09.2014 às 14:33

Quando for o teu momento, certamente, irás sentir o mesmo que eu :)

De Maria João Costa a 18.09.2014 às 22:18

Parabéns! O teu texto está lindo e descreve bem o quão maravilhoso é ser mãe! E também há esse medo incontrolável de que lhes aconteça alguma coisa! :(Aproveita e dá-lhe muito amor!
Beijinhos

De Uma Família Dramática a 19.09.2014 às 14:35

Muito obrigada :) Dou sim. Aliás acho que ela ás vezes pensa que sou louca de tanto que a agarro e a beijo.
Beijinhos

De A rapariga do autocarro a 18.09.2014 às 22:50

Para acalmar os dentinhos do meu usei um produo homeopático - Camilia - da Boiron, com ele resultou.

De Uma Família Dramática a 19.09.2014 às 14:36

Eu comprei ontem o Mitosyl, se não resultar vou procurar esse. É normal eles terem febre? Há quem diga que não...

De A rapariga do autocarro a 19.09.2014 às 14:44

O meu Gabriel fez febre, mas muito fraquinha, 37,5º.

De Uma Família Dramática a 19.09.2014 às 15:06

A minha pequenina chegou aos 38,4º. Agora já não tem. (para já!)

De Coguie a 19.09.2014 às 13:55


Parabéns mama!! então tb estás de parabéns! heheh

e a princesa está melhor?

De Uma Família Dramática a 19.09.2014 às 14:37

É verdade! Cá em casa estamos os três de parabéns. Eheheh. Obrigada :))

Mais ou menos, a febre está a começar a baixar, mas ela anda mesmo aflita!

De mafalda a 19.09.2014 às 16:04

Parabéns aos três e especialmente a ti por seres capaz mãe de verdade :) Espero um dia (e que seja breve) poder sentir esse amor.
Beijinhos e um especial à bebé!

De Uma Família Dramática a 19.09.2014 às 16:08

Muito obrigada :) Breve ou não, se tens vontade, ele há-de chegar! Beijinhos

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

2014